Balanço do Ano (Atípico) de 2020

No último século, muito se falava do ano de 2020! Era o ano do futuro, onde estaríamos rodeados de grandes invenções tecnológicas, jatos privados e robots inteligentes. Seria um ano pioneiro para a Vida Humana. Mas a verdade é que ninguém imaginava o que estava para vir. Todos prevíamos um grande desenvolvimento tecnológico, mas ninguém previa que seria a Vida Humana o elemento a ser posto em causa e o grande desafio da Humanidade. Com o surgimento da pandemia, nunca se deu tanto valor à Vida como nos últimos meses. Nunca se deu tanto valor à Saúde e à Família. Nunca se viveu tanto a nossa casa e nunca tivemos tanto tempo para pensar como este ano.

Jamais, na vida inteira, nos passou pela cabeça passar um ano como 2020. As transformações na sociedade e nas relações humanas tiveram um grande impacto na forma como nos relacionamos e como olhamos para o nosso semelhante. Passámos de beijos a cotoveladas, de comunicar com os lábios para comunicar com os olhos, passámos a ter medo do toque, da proximidade e dos afetos. Ironicamente, andámos anos a tentar aproximar os robots dos humanos trabalhando neles a parte afetiva e, na realidade, a natureza é que nos aproximou do lado insensível da inteligência artificial. Em tão pouco tempo, passámos a olhar para um familiar como uma possível ameaça de morte e isto deixou-nos cada vez mais isolados. Na realidade, muito se falava sobre o impacto da tecnologia nas relações humanas. Mas a verdade, é que foi essa mesma tecnologia que nos uniu em tempos de pandemia. Sem ela, estaríamos muito mais isolados e muito mais distantes uns dos outros.

2020 foi um ano difícil para todos! Para a nossa família, foi um ano exigente. Foi um ano em que passámos mais tempo juntos e onde tivemos de cumprir horários muito mais rigorosos. Tivemos de nos adaptar aos isolamentos constantes, ao teletrabalho com crianças a vaguear por casa, à constante preocupação com a extrema higiene e à máscara que teima em ficar sempre no carro! Foi um ano em que as crianças pouco estiveram com os avós, em que os Pais não tiveram um fim-de-semana de descanso (literalmente) e passaram o tempo a limpar a casa. Foi um ano triste e com tempo a mais (não volto a queixar-me de falta de tempo)! Quando olho para trás, tenho a sensação que não fiz nada nos últimos meses e, na realidade, não consegui parar um minuto no sofá! Ou melhor, das poucas vezes que lá fui parar, adormeci de tanto cansaço acumulado no “corpitxo”. Foi um ano sem férias, sem hotéis, sem spas, sem visitas a locais desconhecidos, sem multidões, sem espetáculos, sem diversões, sem amigos, sem família, sem descanso. O que eu não dava para passar o Réveillon noutro local, dentro de um hotel com mesa e cama feita, nem que fosse no “nosso querido” Algarve. Ou simplesmente, relaxar num spa com direito a uma massagem albufeira e abstrair-me dos últimos meses que me envelheceram para aí uns 30 anos.

2020 foi um ano de grandes lições, mas que todos nós queremos que acabe rapidamente. Esperemos que 2021 nos traga mais esperança, mais saúde, nos traga um mundo renovado, um mundo mais natural, um mundo mais simples. Que 2021 seja um ano onde se VIVA mais e onde se dê mais valor a um simples gesto de carinho tal como um caloroso abraço. Um Excelente Ano Novo para todos!

Deixe uma resposta

Também Pode Gostar