No início é tudo mais fácil!

Muita gente me pergunta como consigo preparar quatro crianças de manhã. Mas o que elas não sabem é que as manhãs são um paraíso comparadas com o final do dia. O meu problema não é de manhã, visto que a criançada ainda está meia sonolenta e só eu é que “falo um pouco mais alto”. O problema é mesmo ao fim do dia! Aí sim, eles parecem elétricos e ninguém os consegue segurar. (Pergunto-me se lhes dão alguma substância ilícita na escola que eu não tenha conhecimento, para eles chegarem a casa “naquele estado”. Se alguém souber, por favor, também me arranje, porque preciso de algo para ter pedalada!).

Uma casa com mais de duas crianças, no final do dia pode estar ao nível de um jogo de futebol entre Porto e Benfica. Há agitação, gritaria, todos falam alto, enfim, as crianças estão mesmo fora de si. Até que chega o jantar e depois…vão-se acalmando! É como se o adversário marcasse golo e eles ficassem de “bolinha baixa” e passassem a pertencer à outra equipa (neste caso a dos Pais)! Talvez seja a fome que os deixa nesse estado (e não, não lhes dou Ritalina, mas às vezes bem que me apetece).

Acho que as crianças simplesmente não se dão bem com essa fase do dia! Ficam completamente alteradas! Mas este “defeito” nota-se desde tenra idade. Desde bebés que demonstram picos de cólicas ao final do dia, torcem-se e choram. E o pior é que ninguém sabe explicar porquê! Os Pais que aguentem! Depois quando crescem, as cólicas dão lugar à adrenalina!

No entanto, é precisamente ao final do dia que os Pais mais queriam descansar, porque estão esgotados e só precisam de um pouco de silêncio. Mas é nessa altura que os meninos se lembram de falar alto e todos ao mesmo tempo, de testar as suas capacidades vocais e de afinação (gritos), de contar as peripécias do seu dia, pedir para ler e assinar recados, pedir para brincar, fazer queixinhas que este me fez isto ou aquilo e solicitar ajuda para os TPCs (que D-E-T-E-S-T-O ainda mais do que na minha altura, porque se antes não tinha responsabilidade, agora como Mãe, tenho de ser eu a corrigir, a saber a matéria toda e a fazer um exercício mental que contribui ainda mais para me deixar esgotada. Sim, porque chego à conclusão que os trabalhos de casa são para os Pais e não para as crianças – mas esta questão dava outro artigo).

Enfim, o dia não está bem feito! Estamos sempre à espera de os ir buscar à escola e quando chegam a casa só queremos que se deitem (pois temos tendência de guardar outras tarefas para o fim do dia). O mesmo se passa quando são bebés. Queremos muito que comecem a falar e quando crescem estamos sempre a pedir que se calem (mas devo ser só eu que tenho este defeito). O problema é que mal os deitamos, já só temos vontade que nos deitem também! Já não há forças nem capacidade de raciocínio! As crianças são um verdadeiro “Valium”!

mae

É precisamente pela manhã (quando estamos mais frescos), que nos deviam “torrar” a paciência, porque ainda não tivemos ninguém a fazê-lo recentemente. A bateria ainda se encontra carregada, o que faz com que a máquina funcione muito melhor e mais rápido. Mas não, é quando a máquina pede para ser ligada à corrente, que surge toda uma envolvente que nos pede para termos um processador a 8GB de memória RAM, mesmo que o botão OFF já tenha sido pressionado há umas horas valentes.

Será que me podem dizer quando é que esta adrenalina de fim de dia acaba? Talvez na adolescência, quando o corpo cresce e fica com o “peso do nosso”!

Dica para sobreviver ao final do dia: AGUENTAR!

Deixar uma resposta

Também Pode Gostar