“Aprendi a não me preocupar, vendo a minha mulher lavar pratos”

Tem tendência para andar sempre preocupado? Sofre de crises de ansiedade? Se a sua resposta é afirmativa, então este artigo é para si! Deixo-lhe um pequeno excerto de um livro que li há alguns anos e que gosto MUITO e aconselho vivamente a quem ainda não leu (não tenho comissão sobre as vendas)!

“Uma dessas incríveis transformações aconteceu com um dos meus alunos. Sofrera um colapso nervoso. Qual a causa? Preocupações. Esse estudante disse-me: “Preocupava-me com tudo: preocupava-me pela minha magreza, preocupava-me porque pensava perder cabelo, porque receava não ganhar dinheiro suficiente para me casar, porque sentia que jamais seria um bom pai, porque temia perder a rapariga com quem queria casar, porque achava que não levava uma vida decente. Preocupava-me com a impressão que causava aos demais. Preocupava-me porque pensava ter uma úlcera no estômago. Não podia trabalhar; renunciei ao emprego. Criei dentro de mim tal tensão que se assemelhava a uma caldeira com excesso de pressão e sem válvulas de segurança. A pressão tornou-se tão insuportável que algo tinha de acontecer. E aconteceu. Se nunca sofreu um lapso nervoso, peça a Deus que jamais tal aconteça, pois nenhuma dor física pode exceder o sofrimento cruciante de um espírito atormentado.”

“Um dia em que arrumava a minha mesa de trabalho tive uma ideia. Examinava uma porção de notas antigas sobre sermões e memorandos referentes a outros assuntos já arrumados. Amachuquei, um por um, esses papéis e atirei-os ao cesto. De repente, detive-me e disse de mim para mim: Porque não faço às preocupações o mesmo que a estes papéis? Porque não deito fora as preocupações de ontem? A partir daquele dia adotei a norma de atirar para o cesto dos papéis todos os problemas sobre os quais já nada podia fazer. Num outro dia, ao limpar os pratos que minha mulher ia lavando, observei que ela não deixava de cantar enquanto lava a louça. Como é feliz… Estamos casados à dezoito anos, e todos os dias lava pratos. Se quando nos casámos ela olhasse para o futuro e imaginasse os pratos que teria de lavar, fugiria horrorizada. E concluí o meu pensamento: Minha mulher não se importa de lavar os pratos porque ela só lava os que são usados em cada dia. E compreendi o que se passa comigo: queria lavar, de uma vez, os pratos do dia, os pratos da véspera e o pratos que ainda não tinham servido.” 

“Agora as preocupações já não me apoquentam. Amachuco as preocupações do dia anterior e atiro-as ao cesto dos papéis: deixei de querer lavar hoje os pratos sujos de ontem!”

Retirado deComo Evitar Preocupações e Começar a Viver de Dale Carnegie

Olhem lá a carinha de felicidade!!! 🙂

Sei que não é fácil! É um desafio diário e uma luta constante. Mas temos (incluindo “moi”) de tentar proceder desta forma na nossa vida!

E você? Costuma acumular muita louça ou só lava os pratos usados em cada dia???

Deixar uma resposta

Também Pode Gostar