Meninas vs meninos: São assim tão diferentes?

Costumo dizer que gasto mais tempo e energia com o meu filho do que com as minhas três filhas. Confesso que são todos bastante irrequietos (talvez tenham herdado isso da mãe), mas há sempre uns mais difíceis do que outros.

É certo que cada criança tem a sua personalidade e temperamento. Mães de meninos, geralmente queixam-se das lutas, dos videojogos, das birras e dos acessos de raiva. Já as mães de meninas, dizem que as filhas são “viciadas” em moda, que gostam de estar constantemente nas redes sociais (as adolescentes, claro!), que é difícil lidar com a sua teimosia e que guardam rancor por mais tempo.

Serão apenas estereótipos ou grandes verdades?

Desde o nascimento, meninas e meninos são diferentes graças às hormonas que os distinguem (estrogénio vs testosterona). Por exemplo, as meninas demonstram mais interesse nas pessoas e são mais atentas do que os meninos. Isto pode explicar o porquê das meninas gostarem de brincar mais com bonecas e os meninos gostarem mais de comboios e de escavadoras (há sempre exceções, claro). As meninas também tendem a falar mais cedo do que os meninos, o que faz com que gostem de brincar mais ao “faz de conta” e de inventar histórias. Para além disso, as meninas também costumam brincar apenas com uma amiga. Já os meninos preferem fazer parte de um grande grupo.

Lidamos com eles de forma diferente?

menino

Sim, lidamos de forma diferente com meninas e com meninos. Temos muito mais cuidado ao falar para uma menina e “atiramos ao ar” o menino desde tenra idade! As meninas têm de ser “princesinhas” e os meninos uns “durões”!!!

E a nível físico?

Os meninos tendem a nascer com mais massa muscular, o que pode explicar o porquê de serem mais ativos fisicamente do que as meninas. Eles geralmente preferem tarefas que tirem partido das suas aptidões corporais e espaciais, tais como brincar com blocos, com botões e outros “gadgets”.

Mas não podemos generalizar (e temos exceções cá em casa)! Para desenvolver algumas aptidões desde cedo, pode sempre “inverter os papéis”. Por exemplo, encorajar a sua filha a praticar uma atividade física mais exigente ou elogiá-la sempre que ganha coragem para fazer algo novo. Pode ajudar o seu filho a ser mais cuidadoso se lhe oferecer um “bebé” para tratar ou um animal de estimação para ele cuidar.

bonecas

(Podia ser o meu filho…mas não é!)

Não gosto de estereótipos! Por isso, visto o meu filho de cor-de-rosa e deixo-o brincar com bonecas (e até já me pediu para lhe pintar as unhas!). Espero que o ajude a desenvolver o seu lado afetivo e cauteloso (que neste momento é MUITO ESCASSO)!


rosa

P.S. Quem não gosta de um homem de cor-de-rosa???

Deixar uma resposta

Também Pode Gostar